Archive by Author | vignoli

Família Wisenteiner

Imagens coletadas por Michela Gzamin

Rua Beijamim Franklin Pereira,  Itajaí, Família Wisenteiner. O tempo passa mas as lembranças não se apagam. Aliás você sabe o que quer dizer a palavra lembraça?

Segundo o Dicionário Web lembrança são impressões, ideias sobre alguma coisa, sobre pessoas ou fatos. Pode-se dizer ainda que são recordações, reminiscências.

Família Wisenteiner


Maratona Ciclística 1978

Imagens coletadas por Michela Gzamin

Direto da década de 70, ciclistas juntam forças e pedalam na Maratona Ciclística Florianópolis – Itajaí. Assim como os eventos esportivos atualmente, na época, a maratona foi patrocinada pela loja Hermes Macedo.

Rua Heitor Liberato, junho de 1978

Rua Heitor Liberato, junho de 1978

Rua Heitor Liberato, junho de 1978

 

Tem alguma foto de arquivo pessoal das décadas de 30 a 80? Ajude-nos a construir a memória catarina de forma a resgatar nossa história. Entre em contato pelo email: fotogrmemoria@gmail.com

Chitãozinho e Xororó em 1987

Imagens coletadas por Michela Gzamin

Nem os astros da música sertaneja por aqui escapam do tempo. Os irmãos Chitãozinho e Xororó, precursores da música sertaneja, continuam ao longo do tempo buscando elaborar músicas com amor, qualidade e inovação, independentemente dos momentos altos e baixos dentro do gênero musical sertanejo e das constante (fonte: site http://chitaoxororo.uol). Aqui vai um registro a dupla de arquivo pessoal de um fã.

Chitãozinho e Xororó - 1987

No clima da Primavera, Loja Saltô lança concurso

A loja de sapatos Saltô, de Balneário Camboriú, lançou um concurso cultural de fotografia. O tema? “Seus pés no click da Primavera”. Basta tirar uma foto que faça referência ao tema e enviar para o seguinte email: lojasaltobc@gmail.com

Cada participante poderá enviar apenas uma foto, sendo esta, de autoria própria.

O concurso segue até dia 20 de setembro, terça-feira. Está em cima da hora, mas aproveite os últimos dias, se inspire na Estação que está para chegar e abuse da criatividade. O que vale é arriscar alguns cliques.

Os autores das três melhores imagens receberão vale compras nos valores de: 1º lugar – R$ 300,00 / 2º Lugar – R$ 200,00 / 3º Lugar – 100,00 como premiação, que deverão ser gastos na loja.

Foto de divulgação

Veja mais detalhes no site:http://migre.me/5HqAO 
ou na Fan Page da loja, no facebook http://migre.me/5HqIz

Memórias que não se perdem

Imagens coletadas por Michela Gzamin

Mais uma mostra de Memória Fotográfica de acervo particular.

Esta foto  traz as memórias da Família Pereira. Em pé estão: Marisete Pereira, Celio Pereira, Merencia Pereira, Laercio Pereira e Ademir Pereira. Abaixados: Neusa Pereira, Valdir Claudino Pereira, Luis Carlos Pereira, Orestes Pereira e Marcelo Pereira.

Estaleiro da Corena em 1980

 

Na foto abaixo, em pé, Odilia Moreira, Valdir Claudino Pereira, no colo, Amanda Costa, Gracielle Alaide Pereira, Claudinei Costa e Rosiane Regina Pereira dos Santos

São Vicente

Na imagem abaixo: Valdir Claudino Pereira e Rosiane Regina Pereira dos Santos, Bairro São Vicente nas proximidades da Ponte Brasilinha, em 1976.

Valdir Claudino Pereira - Ponte Brasilinha 1972-1976

Valdir Claudino Pereira, São Vicente, Pinguela 1975

Em 1981, Rosiane Regina Pereira dos Santos

Retrato em PB

Imagens coletadas por Michela Gzamin
Texto Analú Vignoli

As fotos antigas são prato cheio para boas risadas em reuniões familiares. Mas mais que divertir, elas reavivam memórias e às vezes chegam a ser nostálgicas. Épocas que só voltam através dos relatos e dos retratos muitas vezes ainda em preto e branco.

Bem vindo, de volta, as décadas de 50, 60 e 70.

Arialba e Laerte Pereira em Porto Uniao. A foto data 26-07-1958

Carlos Pereira e Oreste Pereira na Usina de açucar na Pedra de Amolar em 1950

De Pé Merencia Pereira, João Moreira, Odilia Moreira. Abaixado: Signo Fritze, Valtrude, Marisete Pereiir Claudino Pereira, criança Rosiane R P dos Santos-Antiga Riomar em 1976

Natalence, Bairro Volta de Cima, na década de 1960

 Na imagem acima: Odilia Moreira, Lore, Poca, João Moreira, Valdir Claudino pereira, neno, Didinho. Abaixado do lado da mulher Rosiane R P dos Santos, ultimo homem Tonho-Atras do antigo Dallas em 1974.

Antigo deposito da Petrobras em 1975: Valtrude, Ademir, Valdir claudino pereira, criança rosiane regina pereira dos santos, odilia moreira, merencia pereira, signo fritze-Final da Beira-Rio

Joao, Valdir claudino pereira, ismael, ultimo homem nego.Rua Pedro Camilo Vicente 1960

Balneário Camboriú, balneário das novas e antigas lembranças

Imagens coletadas por Michela Gzamin
Texto Analú Vignoli

Balneário Camboriú, localiza-se no litoral centro norte de Santa Catarina. Com praias cercadas pela vegetação e pela arquitetura moderna dos prédios, assim como diversificadas opções de gastronomia, comércio e happy hour, a cidade se tornou destino de brasileiros, paraguaios, uruguaios, chilenos, na alta temporada, que tem seu estopim no mês de dezembro. Nos últimos anos, Balneário Camboriú passou por um crescimento considerável, se tornando também destino de universitários de todo o país e porque não, do exterior, durante todo o ano.

Conhecendo Balneário Camboriú hoje, é difícil acreditar, que esta cidade já não fora construída em meio há prédios e que de alguma forma, tinha ruas de barro com bem menos movimento, que as avenidas dos dias atuais. O que não mudou desde a sua criação em 1964, é o gosto pelo futebol, não é Copacabana, mas a areia da praia de Balneário Camboriú, já viu muita bola rolar e alguns de seus moradores possuem histórias, retratadas daquela época.

Luiz Carlos Caetano, nato de Balneário Camboriú, representando o futebol de areia do município, na passagem da Tocha Rio 2007, por Balneário Camboriú, na Avenida Brasil.

Luiz Carlos Caetano, Tocha Rio 04 de julho de 2007

Jogo de futebol de areia década de 90. Time da Prefeitura de Balneário Camboriú VS Rede Globo.

Melo Filho, Tigrão, Cuca, Razini, Ademar, Paulo Silvino (ator), Vilson,Vidigal, Gil, Luiz, Luis Carlos Caetano ( de verde), de amarelo jogadores e atores da Globo.

Década de 90, time da Prefeitura de Balneário Camboriú VS Rede Globo

Time Tubarões década de 80, jogo de futebol no campo enfrente a praça Tamandaré

Time Tubarões, década de 80

Time Tubarões, década de 80

Time Badalló´s VS Corinthias, setembro de 1981. Jogo realizado no Ginásio de Esportes Ivo Silveira, e o nosso jogador do dia, Luiz Carlos Caetano estava lá, em pé o quarto da esquerda para direita .

Ginásio de Esportes Ivo Silveira, 1981

Time Goiá- Campeonato Oficial de Futebol de Areia, em Balneáro Camboriú, década de 80. Em pé: Jorge, Tijolo, Roberto, Ademar, Alcides, João, Jairo, Mano, Alvin Renze (de preto). Agachados: Luiz C.Caetano, César, Bola, Tintino, Vilson, Paulo.

Time Goiá década de 80
Além dos jogos de futebol, Balneário Camboriú também é feita de outras atividades. Em pé, mão na cintura sem chapéu, pescador Protásio Boaventura Caetano (Dido), nascido em 08 de maio de 1905, em Balneário Camboriú, na época chamada Canto da Praia. O pescador Protásio foi homenageado tendo uma rua com seu nome.

Pesca em frente ao Hotel Marambaia, 1975.

Carnaval de Rua em 1994, Escola de Samba Unidos dos Pioneiros de Balneário Camboriú. A escola terminou seus festejos em 1995, pemanecendo por 10 anos ativa, sua sede até hoje é conservada na rua Vietna, no bairro Ariribá, onde são realizadas festas e promoções.

Luiz C. Caetano

Luiz C. Caetano

Jaraguá do Sul acolhe família alemã…

Texto: Paulo Mueller

Colonizada por alemães, Jaraguá do Sul, localizada no norte catarinense é reconhecida hoje por sua economia essencialmente industrial. Sede de grandes empresas, principalmente no segmento de motores e vestuário, se destaca pelo trabalho e pela preservação da cultura alemã.

A foto, da década de 1970, retrata a família Hubner. Inês Mueller, natural da cidade alemã de Freiburg, veio para o Brasil na época da 2ª Guerra Mundial. Fixou moradia em Jaraguá do Sul, onde conheceu Paulo Hubner, com quem teve oito filhos. Ela não se casou oficialmente com Paulo, pois esta era a segunda união dele.

A foto mostra a Rua João Picolli, no centro da cidade, em meados dos anos 70. A pavimentação da região estava apenas no sonho desta família. A casa humilde foi o aconchego e o berço da educação típica alemã. A família vivia primordialmente da agricultura até a abertura de seu comércio. Pai e filhos inauguraram a Panificadora Jaraguá em 1979, umas das pioneiras na cidade, abandonando a agricultura.

A família Hubner tem uma das características que atribui aos jaraguaenses o título de 5ª maior economia do estado: o trabalho.

Para conhecer mais da história de Jaraguá do Sul. Clique aqui

Família Hubner - Arquivo de Família

Rua João Picolli – Centro – Jaraguá do Sul / SC – Década de 1970. Da esquerda para direita: Afonso Hubner, Waldemar Mueller, Norberto Hubner, Evaldo Hubner, Luis Hubner, Paulo Hubner, Verônica Hubner, Inês Mueller.

Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.