Documentário Evandro Teixeira – Instantâneos da Realidade

Estudante de Medicina que foi assassinado, segundo Evandro Teixeira no Documentário.
Estudante de Medicina que foi assassinado, segundo Evandro Teixeira no Documentário.

Instantâneos de um fotógrafo

O documentário Evandro Teixeira – Instantâneos da Realidade, conta um pouco sobre a vida de um dos mais famosos fotógrafos do Brasil, como o próprio título sugere. Teixeira conta detalhadamente como conquistou suas mais importantes fotos em grandes acontecimentos no país e na América.

O autor do documentário, Paulo Fontenelle, começa o filme com uma seqüência de fotos enquanto um texto do Carlos Drummond de Andrade ilustra o vídeo. Essa escolha influencia em dois importantes aspectos do documentário.

Foto por Evandro Teixeira

Foto por Evandro Teixeira

Primeiro ele apresenta o trabalho do fotógrafo.E Fontenelle faz isso por um motivo óbvio: mostrar o trabalho do Evandro para quem não o conhece direito. Enfim, mostrar o básico do trabalho dele para que as pessoas o conheçam um pouco mais. O outro aspecto importante foi narrar um texto escrito por um grande escritor brasileiro. Ainda mais um texto construído especialmente para as fotos de Evandro Teixeira.

Imagine o impacto que isso causa: começa o filme com um texto lindo, uma seqüência de fotos espetaculares e no fim da introdução, você descobre que o autor do texto é um dos maiores escritores do país. No mínimo você vai pensar que esse fotógrafo deve ter sido muito importante para Drummond chegar a escrever sobre ele. Para concluir: na mesma abertura ele apresenta as fotos do e mostra sua importância dentro do mundo do fotojornalismo brasileiro. Uma ótima jogada, com certeza.

Paulo Fontenelle escolhe para ilustrar o documentário com pessoas próximas ao fotógrafo, como a mãe, a irmã, o amigo. Com grandes fotógrafos, como Sebastião Salgado. E também com especialistas em fotografia e jornalistas que eventualmente trabalharam com Evandro. Além do próprio fotógrafo é claro. Fica impossível não se admirar com os depoimentos do Sebastião Salgado ou do Chico Buarque, por exemplo.

Evandro Teixeira

Evandro Teixeira

A história dos principais atos que aconteceram no Brasil e na América durante o século XX são contadas através dos instantâneos de Evandro. Você acaba sabendo dos bastidores de cada fotografia, o que dá uma visão muito humana e muito próxima do verdadeiro Evandro Teixeira. Também é muito comentado no filme a forma como ele trabalha com fotografia. Seu jeito de interpretar e interagir com o mundo. Documentário essencial para qualquer aspirante á fotógrafo no Brasil. O longa têm aproximadamente uma hora e 16 minutos. Foi lançado em agosto de 2004 e desde aquela época já participou de vários festivais de cinema pelo país.

evandro-teixeira-poster01Título Original: Evandro Teixeira – Instantâneos da Realidade

Gênero: Documentário
Tempo de Duração: 145 minutos
Ano de Lançamento (Brasil): 2004
Estúdio: Canal Imaginário
Distribuição: Riofilme
Direção: Paulo Fontenelle
Roteiro: Paulo Fontenelle
Produção: Cleyde Afonso
Música: Marcos Souza
Fotografia: Cleissom Vidal
e Márcio Bredariol

Clique aqui para comprar

Clique abaixo e conheça a poesia que abre o documentário:

Diante das fotos de Evandro Teixeira

Por Carlos Drummond de Andrade

A pessoa, o lugar, o objeto

estão espostos e escondidos

ao mesmo tempo so a luz,

e dois olhos não ão bastantes

para captar o que se oculta

no rápido florir de um gesto.

É preciso que a lente mágica

enriqueça a visão humana

e do real de cada coisa

um mais seco real extraia

para que penetremos fundo

no puro enigma das figuras.

Fotografia – é o codinome

da mais aguda percepção

que a nós mesmos nos vai mostrando

e da evanescência de tudo,

edifica uma penanência,

cristal do tempo no papel.

Das luas de rua no Rio

em 68, que nos resta

mais positivo, mais queimante

do que as fotos acusadoras,

tão vivas hoje como então,

a lembrar como a exorcizar?

Marcas de enchente e do despejo,

o cadáver inseputável,

o colchão atirado ao vento,

a lodosa, podre favela,

o mendigo de Nova York

a moça em flor no Jóquei Clube,

Garrincha e nureyev, dança

de dois destinos, mães-de-santo

na praia-templo de Ipanema,

a dama estranha de Ouro Preto,

a dor da América Latina,

mitos não são, pois são fotos.

Fotografia: arma de amor,

de justiça e conhecimento,

pelas sete partes do mundo

a viajar, a surpreender

a tormentosa vida do homem

e a esperança a brotar das cinzas.

About Robson Souza

Fotógrafo, Professor, Mergulhador onde desenvolveu trabalhos na área da fotografia e a cada dia procurar entender melhor o mundo da simplicidade trabalhando com uma ferramenta que todos nós temos e usamos pouco ou não usamos da forma correta/simples, seu olhar. Na área biológica onde conheceu um mundo diferente pela ocular de um microscópio vê o cotidiano de um ângulo diferente. Atualmente é professor no Centro Universitário de Brusque (Unifebe) nos cursos de Design Gráfico, Publicidade e Propaganda e Design de Moda onde leciona as disciplinas de Fotografia.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: